Geração Z: sua IES sabe captar esses alunos?

Conheça o perfil dos novos alunos e as estratégias para atrair e reter os nascidos nessa geração

Com o passar dos anos, o perfil dos alunos que buscam o ingresso em universidades vai mudando de forma gradativa. Isso acontece porque, ao longo do tempo, com as transformações tecnológicas, econômicas e sociais, as características dos ingressantes vão variando segundo à geração a qual eles pertencem.

Nos últimos anos as Instituições de Ensino têm se esbarrado em um novo perfil de potenciais alunos: a geração Z. Essa geração compreende os nascidos entre 1995 e 2010 e eles possuem características muito peculiares, dessa forma, as IES têm pela frente dois desafios principais: manter-se atualizada  e atender às demandas dessa geração.

Os nascidos na geração Z vivenciaram, desde o nascimento, uma revolução tecnológica radical onde cresceram cercados de novas ferramentas digitais que modificaram toda uma dinâmica social e econômica, e as IES não ficaram fora disso.

Para se ter um exemplo, essa geração acompanhou a substituição do disquete pelo CD, do CD para o blu-ray, depois o pendrive, e mais recente a tecnologia em nuvem. Ou seja, eles se adaptam rapidamente às mudanças e valorizam experiências e soluções ágeis.

E a sua IES? Ela tem acompanhado essas inovações e está preparada para atender essa demanda? Neste conteúdo vamos te mostrar o novo perfil de aluno e entender como atraí-lo, vamos começar?

Conheça a geração Z

A geração Z já nasceu cercada de novas tecnologias e acompanhou bem de perto os avanços tecnológicos das últimas décadas, dessa forma, podemos destacar os membros dessa geração como formadores de opinião, comunicativos e criativos. Por vivenciar diversas transformações ao longo da vida, esses jovens têm muita facilidade de adaptação, conseguem viver múltiplas realidades (presenciais e virtuais) e conseguem absorver uma quantidade  significativa de informações.

Os nascidos na geração Z também gostam de ter  controle sobre a dinâmica de suas vidas, são pessoas de opiniões fortes que desejam ser ouvidos e considerados. São jovens que descobrem desde cedo o seu valor, por isso, esperam fazer parte do todo e, ao mesmo tempo, serem únicos e serem tratados de acordo com suas pessoalidades.

Podemos ressaltar outras características também importantes como: o desapego à fronteiras geográficas; tomam decisões de forma ágil e detestam burocracias; são nativos da internet; abraçam as diversidades; lutam contra injustiças sociais e apesar de sociáveis, preferem trabalhar individualmente do que em grupo.

Geração Z e a educação

Também conhecidos como centennials, os nascidos na geração Z, tem uma relação muito íntima com a tecnologia e inovação, o que reflete na forma como eles aprendem e na maneira como recebem informações. De maneira geral, os centennials:

  • Aprendem de múltiplas formas;
  • Valorizam o aprendizado em diferentes plataformas e experiências;
  • Valorizam a flexibilidade;
  • Preferem conteúdos de consumo rápido e gamificado;
  • Preferem plataformas e experiências não burocráticas;
  • Valorizam o ensino à distância;
  • São independentes, portanto, sempre estão em busca de novos conhecimentos.

Nos estudos, os nascidos nessa geração tem como principal foco a inovação. Essa geração não costuma executar tarefas nas quais não vejam uma lógica ou um sentido claro, e muitas vezes não se enquadram em métodos educacionais muito conservadores. Eles não se contentam em ouvir passivamente, na verdade querem ser parceiros e gostam de ter sua  opinião  valorizada. Nas salas de aula eles buscam colaboração.

A geração Z se apega em dois fatores bem importantes:

Aplicabilidade no ensino: Um método de aprendizagem que utilize os recursos tecnológicos como gamificação, sala de aula invertida, aprendizado baseado em casos e/ou projetos, espaços maker, etc. É adaptar a metodologia a abordagens inovadoras que podem  otimizar o desempenho do estudante. Os centennials querem participação ativa, onde a construção do conhecimento acontece em conjunto.

Aplicabilidade na gestão: É usar a tecnologia para diminuir burocracias como: automatização de processos e fluxos para controle financeiro, negociações, armazenamento de dados, em processos de matrículas e rematrículas, acesso facilitado a histórico de faltas, notas, etc.

Para sua IES atrair os novos estudantes, será necessário repensar suas estruturas e metodologias para atender às necessidades dessa nova geração. Dessa forma, apostar em alternativas que cativem esse novo perfil de aluno os manterão engajados e interessados em estudar na sua instituição.

Existem algumas perguntas básicas que podem nortear os gestores educacionais na hora de pensar em quais processos há a necessidade de mudança, elas são:

  • Estou me comunicando com o perfil da geração Z em minhas campanhas?
  • A minha IES tem uma presença forte no digital?
  • Qual é a experiência do meu processo de admissão? É ágil, flexível ou burocrático?
  • Minhas metodologias de ensino e as grades curriculares atendem as necessidades geração Z?

As respostas para essas perguntas vão nortear a sua IES no processo de adaptação para as novas gerações. Sabemos que a educação é um fenômeno que está sempre se transformando, sendo assim, a adaptação é algo comum para as instituições de ensino. Então, vamos ver como preparar as IES para receber as novas gerações:

Como atrair as novas gerações para sua IES

Já vimos que as novas gerações cresceram junto aos processos de inovação tecnológica, dessa forma, para atrair os novos perfis de alunos, precisamos ir até onde eles estão. Porém, não basta apenas marcar presença nos canais em que estão presentes, os centennials buscam uma relação de reciprocidade, sendo assim, as IES precisam corresponder às suas expectativas. Aqui falamos sobre uma mudança de postura e percepção de como a IES vê seu aluno e como se comunica com ele.

As IES precisam assumir uma postura proativa, sem esperar que os alunos batam à sua porta. Além da qualidade do ensino e reconhecimento de marca, os potenciais alunos querem algo diferencial, algo que vai gerar percepção de valor. Isso pode variar desde responsabilidade socioambiental a programas de estágio, empresas júnior, infraestrutura, suporte e direcionamento profissional, etc.

Veja alguns pontos:

Promova uma formação integral

Hoje, os alunos não procuram apenas formação profissional, portanto, é essencial que suas metodologias desenvolvam nos alunos as soft skills, ou seja, as habilidades socioemocionais como comunicação, trabalho em equipe, resiliência, empatia etc.

As competências técnicas são muito valorizadas e essenciais para o mercado de trabalho, por isso, vivenciar apenas a teoria não é suficiente para um recém-formado. É preciso que sua IES proporcione conhecimento prático através de estágios, projetos de extensão, aulas multidisciplinares e até projetos de intercâmbios.

Invista em sistemas de ensino flexível

Adaptar suas metodologias de ensino às necessidades do aluno é uma forma de cativar. Dar ao aluno a possibilidade de montar seus horários e ter uma jornada de conhecimento personalizada é uma forma de se adaptar ao novo perfil dessa geração.

O EAD representou o começo de uma revolução na maneira como a educação é oferecida e desde de sua regulamentação a educação remota tem tido um crescimento exponencial. Hoje aposta-se muito em modalidades híbridas/semipresenciais, e essa tendência não dá sinais de esfriamento.

Comunique-se onde seu público-alvo está

Os pertencentes a geração Z não são chamados de  Nativos Digitais a toa, eles cresceram com os avanços tecnológicos e a ascensão da internet, ou seja, eles estão presentes no digital e usam os canais digitais para pesquisar e respaldar seus sentimentos e percepções sobre uma IES antes de realmente tomar uma decisão.

Sendo assim, é preciso se comunicar com eles nos meios em que eles estão acostumados a buscar informações, como sites, redes sociais, etc. Mas não basta só estar presente, é necessário criar ações com conteúdos relevantes e persuasivos para capturar a atenção dos leads dessa geração. As estratégias de Inbound Marketing são interessantes a longo prazo.

Tenha uma comunicação personalizada

A geração Z não gosta daquelas respostas padrão para tudo, eles entendem que cada um tem sua singularidade, e elas devem ser respeitadas. Dessa forma, a comunicação com seu público deve ser personalizada.

Os nativos dessa geração não se sentem representados por estratégias de comunicação pré-fabricadas em massa. Eles valorizam a comunicação humanizada e a escuta ativa, com espaços para diálogo e respeito à diversidade.

Desenvolva uma educação humanizada

O novo perfil de aluno não se agrada com comunicações verticais, eles gostam de ter participação ativa na sala de aula para construir um conhecimento colaborativo. Dessa forma, aposte em metodologias que empoderem o aluno e que o levem a descobrir seu potencial. 

A educação humanizada é aquela que ouve as necessidades dos alunos e sabe equilibrar o coletivo e o individual, levando em consideração fatores que influenciam o desempenho como históricos de vida, contextos sociais e financeiros. 

Essas são as nossas dicas para ajudar a sua IES a atrair os novos perfis de aluno, nesse conteúdo trouxemos uma reflexão sobre as características das novas gerações, em especial a Z, que já estão no ensino superior ou que estão ingressando.

Dentro desse panorama, podemos perceber as transformações que as IES precisam fazer para corresponder às expectativas desses novos estudantes. Ter consciência do momento em que estamos vivendo e entender esse processo de mudança é a base para implementar essas novas configurações em sua IES.

Gostou do conteúdo? Então acesse nosso blog e fique por dentro das principais tendências do Marketing Educacional. Atuamos exclusivamente com Instituições de Ensino e cuidamos de toda estratégia e execução de marketing para gerar mais resultados para IES.

Fale conosco, temos as melhores soluções para a sua instituição. 


Leave A Comment

You must be logged in to post a comment.